Acompanhantes Belo Horizonte

Como funciona a prática do BDSM? Entenda tudo!

Como funciona a prática do BDSM? Entenda tudo!

Se você já leu os livros ou assistiu aos filmes da franquia 50 tons de cinza, certamente já tem uma noção do que é a prática do BDSM, mas ela não se resume ao que é mostrado na história.

Continue lendo para entender do que se trata e desmistificar uma prática que é imensamente prazerosa para muitas pessoas. 

O que é o BDSM?

Grande alvo de preconceitos, o BDSM é tabu em muitas rodas de conversa. Mas isso acontece principalmente porque as pessoas não sabem do que se trata. Até porque, muitas delas já praticaram em algum nível, mesmo sem se dar conta.

Começando pela sigla, BDSM significa: 

Bondage

Disciplina

Dominação

Submissão

Sadismo

Masoquismo

A união da primeira letra de cada palavra é o que forma a sigla. De forma simplória, BDSM se trata de uma prática na qual um dos parceiros é submisso ao outro. Entenda melhor o que cada termo significa abaixo.

Bondage

Bondage é uma prática de imobilização consensual do parceiro ou restrição de algum dos sentidos, seja por meio de cordas, algemas, vendas, coleiras ou outros brinquedinhos. O prazer está relacionado à relação de poder que a dominadora (ou dominador) exerce e à vulnerabilidade em que o submisso se encontra.

Disciplina

A disciplina consiste no “obrigar” uma pessoa a fazer algo, ou ser “obrigado”, de acordo com as regras pré-estabelecidas. Basicamente, um manda e o outro obedece.

Dominação e Submissão

A dominação e a submissão são as relações que precisam existir no BDSM. É necessário que uma pessoa seja submissa e a outra dominadora para que a prática funcione.

A pessoa dominadora é aquela que dá as ordens, que controla todo o processo. Enquanto a submissa é a que obedece e sente prazer em obedecer. A relação se assemelha às de mestre e servo, dono e propriedade, por exemplo.

Sadismo e Masoquismo

Outros termos referentes à relação de ambos os envolvidos é a questão do Sadismo e do Masoquismo. Enquanto o sádico é aquele que sente prazer ao causar dor em outra pessoa, o masoquista é o que sente prazer em sentir dor.

Vale lembrar que existem níveis de sadismo e masoquismo. Para deixar mais claro, o tapa na bunda já pode ser considerado sadomasoquismo, assim como o uso de chicotes, palmatórias, ou outros instrumentos. Essas são consideradas formas mais leves.

Já as mais pesadas envolvem o uso de agulhas, privação de água e/ou comida, suturas, cutting e branding. 

Embora algumas práticas de BDSM sejam dolorosas e até um pouco perigosas, isso não é uma regra. Existem estímulos que não envolvem dor e que podem até não envolver toque físico, como é o caso da tortura psicológica.

Palavra de segurança na prática do BDSM

A prática do BDSM é pautada em três pilares, SSC, que significa São, Seguro e Consensual. Essas são questões que garantem a segurança e que ninguém ultrapasse os limites do outro. Um dos pontos chave para isso é a palavra e segurança.

Como “pare!” é uma palavra que deixa as coisas ainda mais quentes, é importante estabelecer uma palavra de segurança diferente, que seja dita no caso de alguém quiser interromper o ato. 

Na hora de escolher a palavra, pense em alguma que seja bem fora do contexto e que seja simples, como televisão, computador, abóbora… E lembre-se, ao se sentir desconfortável, não existe em falar a palavra de segurança ou caso esteja no papel de dominação, respeite a vontade do outro de parar.


Aqui no Agenda 31 você encontra as dominadoras mais quentes da sua cidade para uma experiência de BDSM inesquecível.

Busca por Acompanhantes em Belo Horizonte