Preloader

Ponto G da mulher: Saiba tudo!

Ponto G da mulher: Saiba tudo!

Com certeza você já ouviu falar no ponto G feminino, não é mesmo? Ele é tema de livros, estudo científicos, boatos, conversas de bar e até mesmo de mitos.

É mais uma das várias zonas erógenas do corpo feminino. Assim como o orgasmo das mulheres, ainda existe muito tabu e desconhecimento sobre o ponto G.

Muitas vezes por falta de interesse de se buscar informações e outras pois realmente é um assunto menos abordado do que tudo que envolve o prazer masculino.

Mas vamos combinar, há poucas coisas na vida tão boas como a sensação de poder fazer uma mulher gozar e sentir prazer, não é mesmo? E o ponto G da mulher é mais um dos caminhos para isso.

Saber tudo que for possível sobre esse ponto pode ser muito importante para sua vida sexual. Que tal conferir um post todo sobre o assunto? É só continuar acompanhando! Boa leitura!

O que é ponto G?

O ponto G feminino não é um órgão, como os rins ou coração. Está mais para uma região.

Ele uma das zonas erógenas do corpo feminino capaz de dar muito prazer para a mulher quando é estimulado. Isso porque ele é repleto de terminações nervosas, e por isso possui muita sensibilidade.

É um tecido esponjoso, e quando a  mulher fica excitada sexualmente o ponto G aumenta de tamanho.

Por que o ponto G tem esse nome?

O ponto tem esse nome em homenagem ao cientista que o “descobriu”, o médico ginecologista alemão Ernst Gräfenberg.

Em seu trabalho, Gräfenberg afirmava que na parede anterior da vagina havia uma região com tecido erétil bem semelhante ao pênis, com corpo esponjoso e que aumentaria de tamanho à medida que a mulher ficasse excitada.

Ele existe mesmo?

Já dá pra imaginar que na época da descoberta de Gräfenberg  uma notícia dessa deve ter levantado muita polêmica… E foi mesmo! De lá pra cá muitas pesquisas vêm sido realizadas, inclusive algumas que afirmavam que o ponto G não existia de verdade.

Tanta controvérsia fez com que até hoje muitas pessoas se perguntem se ele existe mesmo ou não.

Mas atualmente há um consenso entre cerca de 90% dos estudiosos da área de que sim, ele existe! Ou seja, ele não é um mito, podendo ser muito explorado na hora do sexo!

Onde fica o ponto G?

Essa é uma das maiores polêmicas entre todas que envolvem o assunto: onde o ponto G feminino fica localizado? Todo mundo quer saber onde ele fica para “desbloquear” todo o prazer que ele pode proporcionar.

Bom, é bom saber que para cada mulher a localização e algumas das características podem ser diferentes. Não existe um padrão.

Então não considere isso como um mapa que você pode usar para encontrar sua localização exata, considere mais como algo para te orientar.

Mas de modo geral, o ponto G fica na entrada da vagina, na parede superior frontal mais ou menos entre uns 5 a 7 centímetros para dentro do canal vaginal, cerca de 3 dedos acima do osso pélvico.

Como já dissemos mais acima, ele aumenta de tamanho quando a mulher fica excitada, então para ficar mais fácil de encontrar, capriche nas preliminares para deixar sua parceira no clima.

Mas acredite, assim que você encontrá-lo você vai perceber! A mulher vai dar sinais.

Como estimulá-lo?

A melhor maneira de estimular o ponto G feminino e ter certeza de que vai estar realmente no lugar certo é usando os dedos ou algum brinquedinho sexual próprio pra essa função.

Existem uma série de consolos e vibradores anatomicamente adaptados feitos especialmente para a estimulação do ponto G.

Com os dedos, o ideal é introduzir um ou dois na vagina da mulher e fazer como se fosse um gancho e o movimento de “vem cá”, como se estivesse chamando alguém para perto de você.

Ah, e lembrando que para conseguir achar o ponto G e estimulá-lo o ideal é que a mulher já esteja excitada, já que assim ele aumenta de tamanho e os vários vasos sanguíneos que tem ali dilatam.

Como já falamos, a penetração muitas vezes não é a principal maneira de encontrar o ponto G. Mas é possível. Para quem quer tentar, algumas posições com a mulher por cima podem ajudar, já que com elas a parceira tem o controle da penetração e do ritmo.

Outra forma é com o famoso “papai e mamãe”, mas com uma almofada ou travesseiro colocado por baixo do quadril da parceira. A elevação do quadril favorece que o pênis estimule a região do ponto G.

Prazer além do ponto G

É claro que saber mais sobre o ponto G é muito importante, mas tenha em mente que a excitação sexual e o prazer feminino vão muito além dele.

O corpo conta com várias outras zonas erógenas e inclusive é bem mais provável é fácil que a mulher chegue ao orgasmo com a estimulação do clítoris.

Ele possui 8 mil terminações nervosas o que faz com que ele seja extremamente sensível e estimulá-lo é uma das maneiras mais fáceis de fazer uma mulher gozar.

Cerca de 70% das mulheres não conseguem gozar apenas com o estímulo ao ponto G durante a penetração e precisam que o clítoris seja estimulado.

Então no sexo não se esqueça de brincar com todas as zonas erógenas: seios, parte interna das coxas, as orelhas, o baixo ventre, os pés, as costas, a parte de trás dos joelhos, o pescoços e muito mais.

E o ponto g masculino?

Uma outra dúvida que pode surgir é: se existe um ponto G feminino, também existe um ponto G masculino? Uma área capaz de proporcionar tanto prazer assim para o homem?

Bom, nos homens o que é considerado como o ponto G é a próstata. A estimulação dessa glândula promete um orgasmo para o homem diferente do alcançado com o pênis, muito mais intenso.

O post de hoje falou sobre o ponto G. E aí, acha que está pronto para encontrar e, melhor ainda, fazer uma mulher gozar através dele? Conte nos comentários abaixo o que achou.

E que tal procurar uma garota no site do Agenda 31 para brincar um pouco com esse e com vários outros pontos? Nosso site conta com as mulheres mais maravilhosas do Brasil todo! Confira!

Busca por Acompanhantes em BH